COMPARTILHAR

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral será ouvido nesta quinta-feira (19) sobre o caso de "uso abusivo de algemas" durante sua transferência do Rio para Curitiba. A apuração foi determinada pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e acatada pelos magistrados da 2ª Turma da Corte. As informações são do G1.

Cabral teve as mãos e os pés amarrados na episódio. O interrogatório ocorrerá no Tribunal Regional Federal da Segunda Região (TRF2), mesmo após a Procuradoria Geral da República (PGR) pedir que o o caso fosse arquivado.



Para a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, Gilmar não poderia ter aberto o inquérito. "[O sistema] não admite que o órgão que julgue seja o mesmo que investigue e acuse", alegou ela. Para o advogado de Cabral, Rodrigo Roca, o tratamento dado ao ex-governador foi "impactante".

"[Cabral] Foi ainda protagonista involuntário de uma das cenas mais impactantes da história recente da Justiça brasileira, quando, agrilhoado pelos pés, cintura e mãos, foi arrastado pelas correntes da Polícia Federal até o Instituto Médico Legal de Curitiba, sob pruridos de dor", escreveu em um pedido de liberdade provisória.



O ex-governador cumpriu pena durante três meses na capital paranaense e dois obteve habeas corpus para voltar ao Rio, Aualmente ele está no presídio de Bangu 8, na Zona Oeste da cidade.