COMPARTILHAR

O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, decidiu nessa quinta-feira (19), encaminhar à primeira instância de Goiânia uma denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal contra o ex-governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB) por corrupção passiva.

Perillo deixou o comando do Executivo local para disputar as próximas eleições – provavelmente concorrerá ao cargo de senador. Dessa forma, também perdeu a prerrogativa do foro privilegiado.



O tucano é acusado de corrupção passiva, por ter parte de uma dívida de campanha eleitoral, no valor de R$ 90 mil, paga em troca de um aditivo realizado em contrato do Estado com a Delta Engenharia.

+ Joesley diz que pagou mesada de R$ 50 mil para Aécio por dois anos



O contraventor Carlinhos Cachoeira foi denunciado no âmbito da mesma investigação, mas o inquérito acabou desmembrado, permanecendo no STJ apenas Perillo, que gozava de foro privilegiado.

"Nesse contexto, cessada a competência do STJ, há que ser determinada a remessa e redistribuição destes autos ao juízo criminal estadual da Comarca de Goiânia", determinou o ministro.

Procurada pela reportagem, a defesa de Perillo disse que é "normal" e "esperado" que o processo seja encaminhado para a primeira instância. "É um caso que não nos preocupa em absolutamente nada", disse o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay.