COMPARTILHAR

O presidente da República, Michel Temer, vai fazer um pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, nesta sexta-feira (20), com o propósito de criar um discurso político para enfrentar uma eventual terceira denúncia.

O discurso foi alinhado com o marqueteiro da presidência, Elsinho Mouco, que ainda sugeriu ao presidente bater na tecla do "condenar é fácil, quero ver fazer e realizar", no momento em que for defender o próprio governo. De acordo com informações do blog da Andréia Sadi, essa já tem sido a postura de Temer nos bastidores.



Além disso, ainda constam como ponto a ser mencionado no discurso do presidente as eleições de outubro. Temer afirmará que 2018 é um ano de escolhas, e que o pleito precisa transcorrer com tranquilidade.

+ Sérgio Cabral vira réu pela 23ª vez na Lava Jato



As especulações sobre as chances de uma terceira denúncia surgiram após a operação Skala, deflagrada pela Polícia Federal (PF), sob determinação do ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na ação, foram presas temporariamente dez pessoas, incluindo o ex-assessor e advogado José Yunes, Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura e ex-presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), além do coronel João Batista Lima, todos amigos de Temer.

A operação ocorreu no âmbito do inquérito que apura possíveis irregularidades na edição do decreto dos portos (Decreto 9.048/2017), assinado por Michel Temer, em maio do ano passado, e que apura o suposto favorecimento a empresas do ramo portuário.

No ano passado, o presidente foi denunciado duas vezes, pela Procuradoria Geral da República: ums por corrupção passiva e outra por organização criminosa e obstrução da Justiça. Em ambos os casos, a Câmara dos Deputados barrou o andamento dos processos.