COMPARTILHAR

As investigações conduzidas pela polícia e agência de inteligência britânica supostamente identificaram suspeitos importantes de terem sido os responsáveis pelo envenenamento do ex-agente duplo russo Sergei Skripal e sua filha Yulia.

Segundo o jornal The Telegraph, o inquérito ainda deve demorar muitos meses para ser concluído e a polícia acredita que esses suspeitos teriam voltado para a Rússia.



+Crise venezuelana pode fortalecer papel do Brasil no apoio a refugiados

Os investigadores cruzaram nomes de passageiros de voos dentro e fora do Reino Unido, com câmeras das ruas em Salisbury para conseguir analisar as placas de veículos que estavam na região naquele dia.



Os investigadores admitiram ao The Telegraph que existem dificuldades para fazer acusações formais, já que isso poderia aumentar ainda mais as tensões entre o Reino Unido e a Rússia. Segundo a polícia, o ex-agente duplo foi atacado por esquadrão apoiado pelo Kremlin que colocou o veneno na maçaneta da porta da casa de Skripal.

Oficialmente, nenhum investigador britânico fala abertamente sobre o caso. David Videcette, um ex-detetive da polícia metropolitana que investigou os atentados suicidas de 7 de julho em Londres, disse: "Reunir provas para provar quais indivíduos tentaram matar os Skripals será muito difícil".

"Pode haver evidências circunstanciais que mostram que certos russos estavam em certos voos e também estavam em Salisbury naquele dia, mas isso não prova necessariamente que eles realizaram o ataque. Eu suspeito que é onde a polícia chegou até agora", disse.

Um porta-voz da Polícia Metropolitana disse: "Não estamos discutindo linhas específicas de investigação". Com informações da Sputnik News Brasil.