COMPARTILHAR

Após protestos marcados por confrontos violentos entre manifestantes e policiais desde a última quarta-feira (22), o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, resolveu desistir da reforma previdenciária. A revogação da reforma foi anunciada oficialmente neste domingo (22), após as notícias de dezenas de mortes nos protestos ganharem a imprensa internacional.

Conforme relata a agência France Presse, a novidade foi revelada em um encontro com empresários. A reforma do Instituto Nicaraguense de Seguro Social (INSS) pretendia aumentar as contribuições dos trabalhadores e patronais, sob a justificativa de dar estabilidade financeira ao sistema de pensões.



+ Nicarágua registra mais de 30 mortos em protestos contra governo

As manifestações ocorridas ao longo da semana lutavam conta o aumento das contribuições pagas ao INSS daquele país. A reforma teria sido decretada inicialmente pelo governo do presidente Daniel Ortega como forma de atender à recomendação do Fundo Monetário Internacional (FMI), de acordo com informações da agência.