COMPARTILHAR

A penitenciária Adriano Marrey, em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo, está usando o crochê como ocupação para os detentos. Os trabalhos já chegaram às passarela da São Paulo Fashion Week, o maior evento de moda do Brasil.

O projeto, batizado de Ponto Firme, acontece há dois anos e meio no local e já formou 120 alunos. Atualmente, depois de vencer o preconceito, o curso ministrado pelo estilista Gustavo Silvestre tem fila de espera, segundo noticiado pelo "Fantástico", da TV Globo, no domingo (23).



Anderson Figueiredo aprendeu a fazer o crochê na cadeia quando cumpria pena por assalto e tráfico de drogas e hoje é assistente do ateliê. Segundo ele, a atividade mostrou que tem "chance de ter outra vida". "Uma coisa que falta muito na sociedade: uma ajuda, uma mão verdadeira para quando a gente quer mudar", concluiu.

+ Artista preso em festa de milícia é liberado por ter vida fora do país



Os detentos fizeram 44 figurinos para a São Paulo Fashion Week utilizando fios doados por uma empresa parceira do projeto. Como eles não podem sair da prisão, foi feita uma prévia do desfile dentro da cadeia (fotos acima).

A cada 12 horas de trabalho e formação realizados durante a detenção, os presos têm o benefício da redução de um dia de pena.