COMPARTILHAR

O senador Aécio Neves (PSDB) esteve na sede da Polícia Federal em Brasília, na tarde desta quinta-feira (26), para responder questionamentos acerca de investigação que apura suposto recebimento de propina pelo tucano em favorecimento às empreiteiras Andrade Gutierrez e Odebrecht na construção da usina de Santo Antônio, em Rondônia.

Em 2010, o senador recebeu doações de campanha de ambas as empresas que, segundo ele, não tiveram quaisquer contrapartidas como exigências. "Os próprios delatores afirmaram em seus depoimentos que as contribuições feitas às campanhas do PSDB e do senador nunca estiveram vinculadas a qualquer contrapartida", diz o advogado do tucano, Alberto Zacharias Toron.



Leia também: 'Precisa ser mais homem que eu para me derrubar', diz Ciro Gomes

Sergio Andrade, da Andrade Gutierrez, porém, afirma ter repassado R$ 35 milhões ao senador por meio de um contrato fraudulento com a empresa de um amigo de Aécio, que nega.



O depoimento nesta quinta-feira demorou cerca de três horas.