COMPARTILHAR

A operação que reteve bens do presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PP-PI), na última terça (24), causou apreensão entre parlamentares nesta semana. Segundo o colunista Gerson Camarotti, do G1, o temor dos congressistas é que entre os itens apreendidos esteja algum registro da lista de negociação com os deputados que se filiaram recentemente à sigla que o senador preside.

O PP foi o partido que mais angariou novos membros durante o período de janela partidária desde ano: passou de 38 deputados, quarta maior bancada da Câmara, para 53 integrantes, se tornando o segundo partido com mais representantes na Casa.



+ Joesley diz à PF que entregou mala com R$ 500 mil a Ciro Nogueira

Ainda de acordo com a coluna,o partido assumiu o compromisso de bancar com recursos dos fundo eleitoral algumas candidaturas durante a negociação com deputados.



Foram alvos de busca o gabinete e o apartamento funcional do senador. O advogado de Ciro Nogueira, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, afirmou que não há qualquer item apreendido que possa ser motivo de preocupação.