COMPARTILHAR

Apesar de continuar patinando na casa do 1% nas pesquisas de intenção de voto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), passará a rodar o país nesta sexta-feira (27) com seminários temáticos para começar a rabiscar um programa de governo.

Há pelo menos cinco encontros previstos, um em cada região do Brasil.



Ao final das reuniões, será apresentada uma proposta do partido para o tema abordado naquele momento.

"Isso vai ser a base conceitual de um futuro programa de governo que a candidatura de Rodrigo venha apresentar ao país. A ideia é que seja algo não apenas do partido e dos políticos do partido, mas compartilhado com especialistas, técnicos e sociedade", disse o presidente nacional do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto.



A maratona começa pelo Nordeste, nesta sexta. Em Pernambuco, reduto eleitoral do deputado federal Mendonça Filho (DEM), o tema do seminário é educação, justamente a área da qual ele foi ministro no governo Michel Temer.

+ Em delação, Palocci detalha entrega de dinheiro vivo a Lula, diz jornal

Além de Maia, Mendonça, ACM Neto e do líder do DEM na Câmara, Rodrigo Garcia (SP), participam o secretário de Educação de Sobral (CE), Herbert Lima Vasconcelos, o diretor de articulação e inovação do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves, e o presidente da consultoria Falconi, Wilson Risolia.

Os demais seminários abordarão emprego e competitividade, saúde, inovação e tecnologia e eficiência e gestão. Um sexto encontro para tratar de segurança deve acontecer em alguma cidade na região de fronteira.

AGENDA

A ideia inicial era fazer seminários até 22 de junho também em Manaus, Goiânia, Florianópolis e São Paulo.

O cronograma, no entanto, deve sofrer alterações porque o presidente Michel Temer pretende ficar uma semana fora do país em missão oficial no sudeste asiático.

Para evitar qualquer chance de ficar inelegível, Maia, o primeiro na linha sucessória, também pode ter que sair do Brasil, atrasando a agenda de viagens de pré-campanha.

O partido apresentou na quarta-feira (25) uma consulta ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para saber o que Rodrigo Maia precisa fazer para não correr o risco de ter problemas nas eleições.

A ideia é mesclar seminários com agendas oficialmente políticas na mesma região.

Após Recife, Maia vai para Camaçari (BA). Na cidade, a 46 quilômetros de Salvador, a comitiva participa de um encontro com lideranças locais.

O DEM prevê gastar algo em torno de R$ 1 milhão até o fim de julho com a pré-campanha presidencial de Maia. A estimativa cobre gastos com comunicação, deslocamento e eventos.

O entendimento no partido é que, se ele não deslanchar para disputar a Presidência da República até o fim do primeiro semestre, ao menos terá aumentado o valor do passe do DEM para ocupar a vice de uma chapa governista e se cacifa para, reeleito deputado federal, tentar um terceiro mandato de presidente da Câmara. Com informações da Folhapress.