COMPARTILHAR

A Prefeitura de São Paulo, a Cruz Vermelha e a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos informaram que as doações angariadas para os desabrigados em desabamento do prédio no Largo do Paissandu, em São Paulo, são "mais do que suficientes" para atender às necessidades das vítimas.

O edifício Wilton Paes de Almeida, no Centro de São Paulo, pegou fogo e desabou na madrugada de terça-feira (1º). O prédio de 24 andares pertence à União e estava ocupado por 372 pessoas.



A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) de São Paulo fechou uma parceria com a Cruz Vermelha para doação de água e roupas. A entidade informou nesta quinta-feira (3) que recebeu doações suficientes nas primeiras horas da campanha.

“Em menos de 24 horas do incêndio recebemos 5 toneladas de doação, um volume maior do que o suficiente para atender a todos”, disse Tiago Seballo, porta-voz da Cruz Vermelha, segundo o G1.



+ Desabrigados de prédio que caiu e moradores de rua brigam por doações

A instituição aproveitou para fazer um apelo por voluntários: “Agora precisamos de voluntários para triagem do que recebemos – separar as peças em infantil, adulto, masculino, feminino, calça e camisa. Pedimos água e roupas porque os desabrigados não têm mais a estrutura de uma cozinha para preparar os alimentos”.

A a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos ficou lotada de doações, tanto que os mantimentos agora devem ser entregues em outros locais: “Não cabe mais nada dentro da paróquia”, disse o padre Reni dos Santos.

O religioso lembrou que a Igreja da Consolação e o Viaduto Pedroso, para onde parte dos desabrigados foi levada, também estão recebendo donativos.