COMPARTILHAR

O Supremo Tribunal de Justiça português concedeu habeas corpus, nesta quinta-feira (3), ao empresário Raul Schmidt. Investigado na Lava Jato, ele foi preso em Lisboa, no último dia 13, suspeito de envolvimento no pagamento de propinas aos ex-diretores da Petrobras Jorge Zelada, Renato de Souza Duque e Nestor Cerveró.

De acordo com informações do jornal português Diário de Notícias, no despacho, os juízes da Corte declararam "ilegal a detenção do requerente e determinaram a sua libertação imediata".



+ Toffoli nega pedido de Lula para tirar de Moro caso do sítio de Atibaia

Foragido em 2015, ele foi para Portugal em virtude da dupla nacionalidade, obtida em dezembro de 2011. Detido em março de 2016, fez acordo com o Judiciário português para responder o processo de extradição em liberdade.



Em fevereiro último, voltou a ser preso, quando a Justiça portuguesa confirmou a extradição para o Brasil.

A decisão está nas mãos do Superior Tribunal de Justiça (STJ) brasileiro, que marcou julgamento para o dia 9 de maio.