COMPARTILHAR

O estado norte-americano do Oklahoma aprovou, na quinta-feira (3), um projeto de lei que permite às agências de adoção não entregar crianças a casais do mesmo sexo, enquanto o Kansas esteve perto de aprovar a mesma medida.

Nesta sexta (4), legisladores do Kansas juntaram-se aos seus homólogos de Oklahoma na aprovação de uma legislação que garante proteções legais às agências que "por padrões religiosos ou morais" bloqueiam pais adotivos do espectro LGBT.



Em Oklahoma, a medida – aprovada com 56 votos a favor e 21 contra – foi submetida à governadora republicana Mary Fallin, que não declarou ainda se assinará o acordo.

Por sua vez, o projeto aprovado no Kansas impede a proibição das agências religiosas fornecerem assistência social e serviços de adoção para o Estado, mesmo quando estas se recusam a entregar crianças a determinadas famílias sob pretextos religiosos.



A votação no Senado foi de 24 votos a favor a 15 contra, quando a câmara já havia aprovado por 63-58. Está nas mãos agora do governador republicano Jeff Colyer, que o apoia o projeto.

Defensores da medida argumentam que a questão central é "proteger o direito que os grupos têm de viver a sua fé religiosa", sublinhando que "as agências religiosas operam no Kansas há décadas sem problemas".

Por sua vez, os críticos consideram-na um ataque aos direitos LGBT. No Kansas, a medida dividiu a maioria dos republicanos. Com informações da Lusa.