COMPARTILHAR

Fazendo jus ao tom patriótico de sua posse, Putin estreou uma limusine feita na Rússia, aposentando o uso da alemã Mercedes-Benz.

A Kortej (cortejo, em russo) é um carro de aparência parruda, com linhas que lembram vagamente as do americano Chrysler 300, longe das formas harmoniosas da Mercedes-Benz S600 Guard Pullman que Putin utilizou até aqui.



O carro vem sendo desenvolvido desde 2012 pelo Nami, um instituto estatal que agora quer ser montadora de veículos de luxo. Não há muitos detalhes, mas a ligação com a Alemanha não foi totalmente rompida: a Porsche ajudou a desenvolver o motor, e a Bosch, a eletrônica.

O Kortej vem com o "pacote presidencial": blindagem, célula de sobrevivência em caso de ataques químicos, sistemas de comunicação avançados e um motor elétrico secundário não por correção ambiental, mas por segurança em caso de falha do principal.



A marca ressuscita a tradição das limusines soviéticas. Após anos de uso de produtos "imperialistas", Stálin determinou que se criasse uma versão local de seu Packard americano. Um programa de engenharia reversa, a popular cópia, foi feito pela fábrica ZiL, então com o nome ZiS, com o S homenageando o ditador. A linhagem só foi interrompida em 1993, após o fim do comunismo e a adoção das Mercedes. Com informações da Folhapress.

Leia também: Irã vê eleições no Líbano como "uma vitória para toda a nação"