COMPARTILHAR

O presidente Michel Temer disse nesta segunda-feira (7), em entrevista à rádio CBN, que não tem medo de ser preso quando deixar o cargo. Para ele, a detenção seria uma "indignidade".

Temer fez a declaração após ser questionado sobre os dois inquéritos a que responde Supremo Tribunal Federal (STF). Reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo hoje indica que procuradores do Ministério público poderiam adotar medidas contra o presidente após o fim do mandato na Presidência.



+ Barroso prorroga investigação contra Temer

"Não temo, não [ser preso]. Não temo. Seria uma indignidade e lamento estarmos falando sobre isso. Eu prezo muito a instituição Ministério Público que, aliás, teve em mim um dos principais suportes", afirmou.



Em um dos inquéritos, são apurados pagamento de propina pela Odebrecht na Secretaria de Aviação Civil; no outro, Temer é suspeito de receber de propina na edição do decreto dos portos para beneficiar empresas. O presidente nega as acusações.