COMPARTILHAR

O bebê de família Testemunha de Jeová, que foi submetido a uma transfusão de sangue por determinação da Justiça, sem a autorização dos responsáveis, apresentou melhora no quadro clínico 15 dias após o procedimento, nesta quinta-feira (10).

Segundo o G1, com informações da assessoria de imprensa da Santa Casa de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, onde o bebê está internado, a criança continua na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sem previsão de alta, mas tem o estado de saúde estável.



A assessoria informou ainda que a família não autorizou a divulgação de mais informações.

+ 'Acho difícil ter sobreviventes', diz bombeiro sobre buscas em SP



O caso

O bebê nasceu no dia 14 de abril, na Santa Casa de São José do Rio Preto, sem problemas de saúde. Ele teve alta no dia 17, mas voltou no dia seguinte para fazer o teste do pezinho. Na ocasião, os médicos constataram que o recém-nascido estava desidratado e hipoativo.

O menino foi internado e o quadro clínico se agravou. Na UTI, ele apresentou distúrbio de coagulação, sangramento digestivo e anemia, quando foi recomendada a transfusão de sangue. No entanto, o bebê é de família Testemunha de Jeová, que não autoriza o procedimento, pois a religião proíbe.

Após determinação da Justiça, publicada no dia 24 de abril, a transfusão foi realizada pelo hospital.