COMPARTILHAR

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou nesta segunda-feira (14) uma liminar que pedia liberdade ao empresário Felipe Picciani, filho do presidente afastado da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani (MDB). As informações foram divulgadas pelo jornal O Globo nesta segunda-feira (14).

Felipe é acusado de participar de esquema de corrupção que envolve o deputado estadual pelo Ministério Público Federal (STF). Ele está detido desde novembro do ano passado após ações da Operação Cadeia Velha.



+ Com morte de deputado, Câmara fará eleição para secretaria

O filho de Picciani coordena a Agrobilara, empresa agropecuária da família. De acordo com os investigadores, "fica patente nos e-mails trocados entre eles que Felipe age em consonância com o principal propósito da empresa: a lavagem de ativos dos crimes praticados por seu pai e por outras pessoas da esfera de conhecimento de seu pai (empresários e funcionários públicos)".



Também foram presos na operação Jorge Picciani e os deputados estaduais do Rio Edson Albertassi e Paulo Melo, ambos do MDB. Os três já apresentaram habeas corpus no STF, mas até agora somente Picciani obteve o direitor à prisão domiciliar.