COMPARTILHAR

O bolo comido por uma bebê antes de morrer tinha entorpecentes, segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Rio Branco (AC). Kethelly Katrinny, de 1 ano e 11 meses, morreu no dia 25 de abril.

De acordo com o G1, a análise foi feita com sangue, conteúdo gástrico, material do olho e a urina da criança.

“Na amostra de sangue e no suco gástrico da Kethelly atestou presença de maconha. Na urina de um dos adolescentes atestou maconha e no outro atestou maconha e cocaína", afirmou Marcos Frank, delegado responsável pelo caso.

A sobremesa, feita pela mãe da menina, seria levada para o pai da vítima, hoje preso no Presídio de Sena Madureira.

Leia também: Novo proprietário de triplex tem condenação na Justiça da Paraíba

Comments

comments