COMPARTILHAR

Durante a apresentação de portaria que cria um comitê de acompanhamento das consequências da greve dos caminhoneiros, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse que a paralisação atinge direitos fundamentais da população.

"É certo que há direito à greve, ao protesto e à reivindicação, mas também há uma responsabilidade por abuso de atuação que possa resultar em prejuízo para indivíduos e grupos”, considerou Dodge, ao participar, nesta terça-feira (29), de reunião do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).



De acordo com informações do portal G1, ela relatou que os integrantes do MP pelo país estão em reunião permanente com as autoridades, já ingressaram com ações e emitiram recomendações no sentido de desbloquear cargas e produtos necessários para emergências hospitalares, hemodiálise e hemocentros.

Leia também: Maia diz que Câmara não votará aumento de impostos