COMPARTILHAR

Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da Dersa e apontado como operador do PSDB, voltou a ser preso, nesta quarta-feira (30), na capital paulista, após descumprir decisão judicial.

Ele não compareceu a uma audiência que seria realizada na 5ª Vara Federal Criminal em São Paulo, no último dia 14, e teve novo pedido de prisão solicitado pela procuradora da República Adriana Scordamaglia.



Souza é suspeito de desvios nas obras do Rodoanel Sul, Jacu Pêssego e Nova Marginal Tietê. Depois de ter sido preso, no início do mês, ele conseguiu um habeas corpus, concedido pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e estava solto desde o último dia 11.

Leia também: PF cumpre mandados na Câmara contra fraude de registros sindicais