COMPARTILHAR

Milhares de simpatizantes da direita nacionalista (VMRO-DPMNE, oposição) se manifestaram neste sábado (2), em Skopje, na Macedônia, contra uma mudança do nome do país. A alteração teria sido negociada com a Grécia, que também reivindica o nome Macedônia.

Depois de anos de impasse, as negociações entre os dois países tiveram progressos nos últimos meses, com o primeiro-ministro macedônio, Zoran Zaev, e o seu homólogo grego, Alexis Tsipras, mostrando vontade de acabar com a disputa de um quarto de século. Segundo os dois países, as negociações estão "na fase final".



+ Ataque do Estado Islâmico mata 12 pessoas da mesma família

De acordo com o primeiro-ministro, qualquer solução será objeto de referendo e levará a uma mudança na Constituição da Macedônia.



"O VMRO-DPMNE não apoiará uma modificação da Constituição para implementar uma mudança do nome constitucional [da Macedônia]. Somo muito claros em relação a isso", disse à multidão o novo presidente do principal partido da oposição, Hristijan Mickoski.

O ex-primeiro-ministro e líder do partido, Nikola Gruevski, que governou a Macedônia de 2006 a 2016 e acaba de ser condenado a dois anos de prisão por abuso de poder, não esteve presente.

Por outro lado, o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, apoiou o novo presidente do VMRO-DPMNE em uma mensagem em vídeo na qual elogia os "líderes corajosos e sábios (…) que não se submetem à pressão de potências estrangeiras".

A Grécia considera que a Macedônia é o nome de uma de suas províncias do norte e reivindica o legado dos antigos reis Alexandre o Grande e Filipe da Macedônia. Os macedônios reivindicam o mesmo legado.

Na ausência de um acordo, Atenas bloqueia qualquer perspectiva de integração da Macedônia na NATO ou de adesão à União Europeia.

Novos nomes

Muitos nomes têm sido referidos como alternativa, como "Gorna Makedonija" (Alta Macedônia), "Severna Makedonija" (Macedônia do Norte), "Macedônia-Ilinden" ou "Macedônia-Skopje". Fonte ouvida pela Agência France Press disse que a preferida é Macedônia do Norte.

Um acordo com a Grécia terá de ser ratificado pelo Parlamento antes de um referendo. Independente desde 1991, a Macedônia foi admitida nas Nações Unidas como Antiga República Iugoslava da Macedônia. É também assim que líderes europeus a designam, mas muitos países, nomeadamente os Estados Unidos e a Rússia, reconhecem o país pelo nome de Macedônia. Com informações da Lusa.