COMPARTILHAR

Depois de afirmar que a vereadora Marielle Franco estava "engajada com bandidos" e defender um "paredão de fuzilamento" para o deputado Jean Wyllys (PSOL – RJ), a desembargadora Marília Castro Neves voltou a causar polêmica nas redes sociais. A magistrada se referiu a feministas como "feminazi" (mistura de feminista com nazista).

Castro Neves também afirmou que as feministas lutam por uma "causa perdida". " Em trecho do post, intitulado, "Atenção – Pedido Importante, a desembargadora especifica como quer ser lembrada caso morra "vítima de algum dos incontáveis tipos de violência que hoje infestam nosso país".



+ Crianças morrem queimadas em incêndio no Ceará

"Gritem ao mundo que sempre votei no Bolsonaro, que eu era muito feliz por meu filho não ser homossexual e que sempre fui contra o aborto e a favor da família tradicional!!". Dentre as polêmicas também envolvendo a magistrada, me março passado, ela questionou a habilidade de professores com Síndrome de Down.



Notícias ao Minuto