COMPARTILHAR

A torcida da PUC-Rio está sendo acusada por atos racistas durante o Jogos Jurídicos em Petrópolis, na Região Serrana do Rio – competição universitária do curso de Direito ocorrida neste fim de semana.

Segundo os relatos, estudantes da universidade católica, localizada na Zona Sul da capital, ofenderam alunos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade Católica de Petrópolis (UCP).



"Muito triste e revoltante o que está acontecendo nos Jogos Jurídicos. Alunos (no plural) da PUC-Rio, para provocar o Direito-UERJ, saíram do ginásio imitando macacos. Ontem, outro estudante de lá jogou uma casca de banana contra uma atleta negro da UCP. Casos de polícia", relatou um aluno da Uerj.

De acordo com o jornal 'O Dia', uma atleta de handebol da UFF foi chamada de macaca por uma universitária da PUC.



"Diante do racismo, evidentemente os alunos da UERJ ficaram revoltados. Nisso, uma menina da PUC vira para a gente e diz: 'Olha o meu rosto, você acha mesmo que eu vou ser presa?'. Muito entristecedor estar tão próximo de um caso explícito de racismo", disse ainda o estudante de Direito da Uerj, que sofreu ameaças após fazer a denúncia nas redes sociais.

"Um absurdo. Mesmo que o meio universitário tenha se tornado mais inclusivo ao longo dos anos, ainda é um ambiente muito hostil pra estudantes negros, que estão expostos a esse tipo de humilhação a qualquer momento. Porém o mais grave pra mim é saber que daqui há uns anos essas pessoas vão ser os profissionais que vão estar atuando na sociedade. Mais grave ainda se a gente for pensar que vão ser essas pessoas que vão se encarregar da Justiça brasileira", escreveu Gabriel Trancozo, estudante de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Ainda segundo a reportagem, a PUC foi punida pela organização do evento em R$ 500. A instituição ainda não se pronunciou sobre os casos.

Com a forte repercussão nas redes sociais, uma professora de Direito da instituição católica foi uma das a pedir punição aos alunos que cometeram os atos racistas. "Jogar banana para alunas negras, chamá-las de macacas não só ofende aquelas atingidas diretamente. Ofende toda uma população excluída e marginalizada por anos e anos. TRATA-SE DE CRIME! E como tal deve ser apurado com rigor. Aos alunos e alunas da PUC-Rio que cometeram esse ato vergonhoso e criminoso: vocês não merecem pertencer a esta instituição", escreveu Caitlin Mulholland no Facebook.

Leia também: Mãe de jovem morto por tubarão faz apelo: 'Não entrem na água'