COMPARTILHAR

O ex-presidente Lula foi ouvido, nesta terça-feira (5), por meio de videoconferência, pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, como testemunha de defesa do ex-governador Sérgio Cabral.

Na ocasião, o juiz destacou o papel político de Lula. "Senhor Luiz Inácio, muito obrigado. Inclusive pela postura que se portou. O senhor é uma figura importante no nosso país, é relevante sua história para todos nós. Para mim, inclusive. Aos 18 anos estava aqui num comício na Avenida Presidente Vargas com um milhão de pessoas e eu estava lá usando o boné e a camiseta com seu nome", disse o magistrado, ao fim do depoimento do petista.



+ Após visita, frei Betto conta rotina de Lula e diz que ele está animado

Neste momento, foi interrompido pelo ex-presidente. "Pode usar agora o boné e a camisa", rebateu Lula em alusão a sua pré-candidatura apesar da prisão. Depois, completou: "Quando eu fizer um comício agora vou chamar o senhor para participar".



Lula falou a partir de Curitiba, onde encontra-se preso na superintendência da Polícia Federal (PF), e apareceu de terno e de gravata com as cores da bandeira do Brasil. A fala durou cerca de 50 minutos.

Os processos contra Sérgio Cabral fazem parte da operação Unflair Play, que apura um suposto esquema de corrupção para a compra de apoio na votação que definiu o Rio como sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

O petista minimizou a denúncia. "Eu não sei qual é o critério para alguém que diz que foi trapaça (a escolha da Rio-2016). Esse senhor (procurador) não deve conhecer nada", disse. "Nunca soube de nenhuma negociata, em nenhum momento. Inclusive assinei um decreto em 2009 que coagia transparência de todos os dados. Lamento muito que tenha surgido essa denúncia 8 anos depois", completou.