COMPARTILHAR

Após pressão de entidades patronais do agronegócio e da indústria, o governo Michel Temer anunciou a elaboração de uma nova tabela de frete.

O documento será divulgado pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) até esta quinta-feira (7), segundo afirmou o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, após reunião com representantes dos caminhoneiros autônomos.



Leia também: Projeto que obriga detento a pagar despesas na prisão avança no Senado

"A ANTT está trabalhando para publicar até amanhã [quinta] a nova tabela. Não há constrangimentos, porque o governo vem cumprindo todos os compromissos com a classe dos caminhoneiros", disse o ministro.



O ministro confirmou que o preço -principal reclamação das entidades patronais- será reduzido em alguns casos. "Tem mudança no preço porque vai contemplar outros tipos de caminhão nessa tabela", disse.

Casimiro reconheceu que a tabela mínima de fretes causou "algumas confusões com relação ao preço".

"A ANTT identificou alguns problemas na constituição da tabela, que previa apenas um tipo de caminhão, alguns com 3 eixos, com 6 eixos, e que precisava ampliar essa tabela para que contemplasse todo tipo de caminhão e que fizesse uma distribuição do custo fixo do frete num caminhão que tivesse mais eixos", afirmou.

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) e a CNA (Confederação Nacional da Agricultura) informaram que, se a tabela não for modificada, avaliam medidas judiciais contra as normas que estabelecem valor mínimo para transporte de carga. Com informações da Folhapress.