COMPARTILHAR

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral (MDB) presta depoimento, nesta sexta-feira (8), ao juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro.

O interrogatório é sobre o processo em que o emedebista é acusado, junto com os doleiros Renato e Marcelo Chebar, além de outras três pessoas, de ocultar e lavar cerca de R$ 40 milhões guardados no Brasil, outros US$ 100 milhões depositados no exterior, e mais quase R$ 10 milhões ocultados em joias.



+ Ministro do STF libera ação penal contra Gleisi para julgamento

"A promiscuidade (de doações) foi muito grande e foi nessa promiscuidade que me perdi. Usei dinheiro de campanha para fins pessoais. Eu nunca pedi a um empresário que incluisse um percentual qualquer em nenhuma obra ou serviço do meu governo. Garanto isso ao senhor, falo em nome dos meus filhos e do neto que conheci essa semana", afirmou o ex-governador, de acordo com informações do portal G1. "Eu pedia dinheiro e campanha sim e era muito dinheiro sim. Em vez de ficar concentrado no meu governo, nas minhas realizações… o poder é algo tão perigoso", completou.



Réu em 23 ações na Lava Jato, Cabral está preso desde novembro de 2016 e suas penas já passam de 100 anos.