COMPARTILHAR

Nesta terça-feira (3), a Justiça do Equador aceitou o pedido da Procuradoria Geral do país para solicitar à Interpol a prisão e a extradição do ex-presidente Rafael Correa. Ação ocorre depois do político não ter cumprido cumprir uma medida cautelar para comparecer ao tribunal em Quito nesta segunda.

Vivendo na Bélgica desde maio, Correa teria se apresentado à representação diplomática equatoriana em Bruxelas, noticia o G1.



O ex-líder equatoriano foi indiciado há duas semanas na investigação do suposto sequestro do ex-deputado do Partido Sociedade Patriótica (PSP), Fernando Balda na Colômbia, em 2010.

O pedido foi acolhido pela juíza Daniella Camacho, que determinou que ele se apresente "a cada 15 dias" em Quito para prestar esclarecimentos sobre o caso.



Com o aval de 83 dos 137 deputados, a Assembleia Nacional declarou "improcedente" o pedido de uma juíza para bloquear a investigação.

Leia também: Secretário dos EUA vai a Coreia do Norte discutir nuclearização