COMPARTILHAR

O ex-ministro José Dirceu é alvo de novo inquérito instaurado pela Polícia Federal (PF), na semana passada, para investigar supostos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro cometidos pelo petista.

A apuração faz parte de um dos três processos em que Dirceu figura como réu, referentes à operação Lava Jato. O comunicado sobre o inquérito já foi feito ao juiz Sérgio Moro, responsável pela força-tarefa em primeira instância, conforme destaca o portal Uol.



+ PF diz que ex-ministro do Trabalho era 'fantoche dos caciques do PTB'

Na ação, o ex-ministro é acusado de receber, entre 2011 e 2014, cerca de R$ 2,2 milhões, "sem que houvesse efetiva prestação de serviços", por meio de sua empresa de consultoria.



A informação veio à tona a partir do depoimento de Gerson Almada, ex-vice-presidente da empreiteira Engevix, que também é réu no processo. Segundo ele, o dinheiro pago a Dirceu tratava-se de propina e era oriundo de um esquema envolvendo contratos entre a Petrobras e as empreiteiras Engevix e UTC.

O Ministério Público Federal (MPF), então, solicitou que novos inquéritos fossem abertos para investigar as informações contra Dirceu, o que foi autorizado por Moro, no mês de fevereiro último, mesma ocasião em que o juiz decidiu torná-lo réu no processo.