COMPARTILHAR

A Suzantur (empresa de ônibus concessionária) que atua em Santo André (no ABC Paulista) enviou um vídeo para a imprensa no qual alega não serem seguranças os responsáveis pelo constrangimento de uma mulher enquanto amamentava.

Mãe de primeira viagem, Thaís Santina, 21, voltava do médico na última terça-feira (10), quando Otto, de um mês, chorou de fome. Ela estava no Terminal Vila Luzita, em Santo André e procurou um local onde ventasse menos para amamentá-lo. Segundo ela, ao sentar e abrir a blusa, foi avisada por três funcionários do terminal que não poderia amamentar ali. Segundo Thaís, alegaram que era atentado violento ao pudor.



A jovem pediu para amamentar o bebê no banheiro, localizado no lado de fora da estação, mas segundo ela, um dos homens disse que se saísse, deveria pagar uma nova passagem para embarcar no ônibus. Ainda segundo seu relato, um deles ameaçou chamar a polícia.

O vídeo não mostra de forma clara o momento em que Thaís é constrangida, mas indica três passageiros como autores do constrangimento.



Procurada, Thaís disse que não quer mais falar sobre o assunto.

Desde 2015, a lei estadual 16.047 assegura à criança o direito ao aleitamento materno nos estabelecimentos de uso coletivo, públicos ou privados. Ainda de acordo com a lei, há multa para o infrator porque a "amamentação é um ato livre". Com informações da Folhapress.