COMPARTILHAR

O pré-candidato ao governo de São Paulo do MDB, Paulo Skaf, escolheu nesta segunda (23) a tenente-coronel da Polícia Militar Carla Danielle Basson para ocupar a vaga de vice em sua chapa.

Desde maio, Basson comanda o 11º Batalhão da Polícia Militar do interior paulista, que é responsável pelos municípios de Jundiaí, Itupeva e Cabreúva. Natural de São Paulo, Basson tem 46 anos e é bacharel em direito pela Faculdade Padre Anchieta e em ciências policiais de segurança e ordem pública pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco -nesta última, a tenente-coronel também obteve títulos de mestrado e doutorado na mesma área.



+ PF indicia ex-secretário de Alckmin sob suspeita de fraude no Rodoanel

Filha de militar, em 2015 Basson se tornou a primeira mulher a comandar o 35º Batalhão de Campinas, feito inédito na cidade. "Ela é uma moça de família boa e é uma coronel suave, não tem nada de truculência", disse Skaf.



A escolha da tenente-coronel acontece no momento em que a segurança pública é a principal pauta da disputa eleitoral deste ano –tanto nos estados quanto na corrida ao Planalto.

A convenção para formalizar a candidatura de Skaf ao governo do estado de São Paulo será no dia 28 de julho. Para poder disputar a vaga de vice, Basson terá de se desligar da Polícia Militar e se filiar ao MDB.

O setor jurídico da pré-campanha de Skaf usará recente decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para garantir o ingresso da tenente-coronel no partido. Em fevereiro, o plenário da corte decidiu, por unanimidade, que o militar elegível não ocupante de função de comando deverá estar afastado do serviço ativo no momento em que for requerido o seu registro de candidatura. O TSE se posicionou no julgamento de uma consulta formulada pelo deputado federal Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência. O coronel reformado questionou se o afastamento de militar de suas atividades deveria ser efetivado somente com o deferimento do registro. Com informações da Folhapress.