COMPARTILHAR

A Polícia da França fez uma operação de busca e apreensão no escritório do Palácio do Eliseu – sede da Presidência da República – que era usado por Alexandre Benalla, ex-chefe da segurança de Emmanuel Macron flagrado agredindo manifestantes, nesta quarta-feira (25).

O próprio Benalla, que é investigado por violência por ter agredido civis durante um ato no dia 1º de maio, acompanhou a operação. O caso abriu uma crise política na França, e a oposição já apresentou uma moção de censura contra Macron, embora a medida tenha poucas chances de prosperar – o governo tem amplo controle do Parlamento.



+ Ex-presidente da Catalunha voltará para a Bélgica

Também nesta quarta, o presidente se pronunciou sobre Benalla pela primeira vez e afirmou que seu ex-guarda-costas "errou". "Agora é importante que a Justiça faça seu trabalho", disse, acrescentando que a "República não é infalível". Benalla foi demitido no último dia 20 de julho. (ANSA)