COMPARTILHAR

Mais da metade da população brasileira vive em 5,7% das cidades, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (29).

De acordo com o instituto, somente 317 municípios, de um total de 5.568, concentram população de 118,9 milhões de pessoas, de um total de 208,5 milhões de habitantes no país neste ano.



A população brasileira teve ligeira alta em 2018, com aumento de 0,38% (ou 800 mil pessoas) frente ao contingente populacional registrado em 2017. Os municípios de maior contingente populacional são os com mais de 100 mil habitantes. Se considerados os municípios com mais de 500 mil habitantes, observa-se que eles concentram 31,2% da população brasileira (ou 64,9 milhões de pessoas).

+ Sistema de cotas no ensino superior completa seis anos



Enquanto a maioria dos municípios brasileiros (68,4%) possui população de até 20 mil habitantes, apenas 15,4% (ou 32,1 milhões de pessoas) vivem nesses locais.

As capitais mais populosas do país continuam sendo São Paulo (12,1 milhões de pessoas), Rio de Janeiro (6,68 milhões de pessoas) e Brasília (2,97 milhões). No ranking dos municípios com mais de 500 mil habitantes, exceto capitais de estado, figuram no topo as cidades de Guarulhos (em SP, com 1,36 milhão de pessoas), Campinas (em SP, com 1,19 milhão de pessoas), São Gonçalo (RJ, com 1,07 milhão), Duque de Caxias (RJ, 914 mil) e São Bernardo do Campo (SP, com 833 mil).

Serra da Saudade, em Minas Gerais, é o município de menor população, estimada pelo IBGE em 786 habitantes em 2018. A segunda menor cidade é Borá, em São Paulo, com 836 habitantes, seguida de Araguainha (MT), com 956 moradores. O IBGE divulgou nesta quarta a estimativa da população dos municípios brasileiros.

No final de julho, o instituto havia divulgado a estimativa para o Brasil e estados, além de fazer projeção de crescimento populacional até 2060.

Segundo o IBGE, o crescimento da população brasileira está desacelerando. Ou seja, a cada ano a população cresce menos. De 2016 para 2016, o crescimento havia sido de 1,6 milhão de pessoas, o dobro do registrado na passagem de 2017 para 2018.

O IBGE estimou que a população crescerá pelos próximos 29 anos, até 2047, quando deverá atingir 233,2 milhões. Nos anos seguintes, a população deverá cair gradualmente, até chegar a 228,3 milhões em 2060. Com informações da Folhapress.