COMPARTILHAR

No segundo bloco do horário eleitoral na TV deste sábado (1º), os candidatos à Presidência da República reforçaram os discursos apresentados na primeira inserção, às 13h.

Ciro Gomes (PDT) prometeu limpar o nome dos endividados com o Programa Nome Limpo.



Mudar a realidade do país foi a mensagem deixada novamente pelo Guilherme Boulos (PSOL).

Com a promessa de um país melhor e a aposta no eleitorado feminino, Geraldo Alckmin (PSDB) apresentou sua trajetória antes da política. O candidato contou a história das dificuldades enfrentadas por uma menina que se tratou contra a leucemia e venceu a doença. Ele prometeu melhorar a saúde no Brasil.



Marina Silva (Rede) concentrou seu discurso na força do eleitorado feminino.

Henrique Meirelles (MDB) reforçou sua imagem como "alguém que consertará a política". O candidato citou sua carreira na iniciativa privada e explorou a imagem ao lado do ex-presidente Lula. Ele se intitulou como "o cara que os governos chamam para resolver os problemas que eles não conseguem resolver".

O PT usou o tempo da propaganda na TV para defender a candidatura de Lula, barrada por decisão do TSE. "Os que perseguem Lula perseguem o povo brasileiro", afirmou Fernando Haddad diante da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula cumpre pena desde abril por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex em Guarujá.

Cabo Daciolo (Patriota) defendeu o fim da corrupção, José Maria Eymael (Democracia Cristã) a competência para governar o país e João Amoêdo (Partido Novo), em poucos segundos, prometeu que esta será a última eleição com programa eleitoral obrigatório. Alvaro Dias (Podemos) resumiu a própria trajetória.

Jair Bolsonaro (PSL) convocou os eleitores para defender a família e a Pátria. João Goulart Filho (PPL) quer recuperar o desenvolvimento e o orgulho de ser brasileiro.

O horário eleitoral rádio e na televisão vai até o dia 4 de outubro, antes do primeiro turno da eleição, que acontece no dia 7 de outubro.