COMPARTILHAR

Uma semana depois do início do horário eleitoral gratuito, o candidato a governador paulista João Doria (PSDB) se manteve com 25% das intenções de voto e Paulo Skaf (MDB) oscilou positivamente de 20% para 23%, mostra o Datafolha. Os dois estão tecnicamente empatados.

Com o segundo maior tempo de televisão atrás do tucano, o governador Márcio França (PSB) foi o único que cresceu na pesquisa, de 4% para 8%.



A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 2.030 pessoas no estado de São Paulo de terça (4) a esta quinta (6). A pesquisa, encomendada pela Folha de S.Paulo e a TV Globo, está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (nº SP 07990/2018). O nível de confiança utilizado é de 95%.

O candidato Luiz Marinho (PT) registrou 5%, Professora Lisete (PSOL), 2% e Major Costa e Silva (DC), 2% e Os demais candidatos tiveram 1% ou menos.



Com a propaganda no ar no rádio e na TV, a parcela de eleitores sem candidato recuou de 37% para 30%. Entre esse grupo, a opção pelo voto nulo ou branco se reduziu de 26% para 22% e a de indecisos, de 11% para 8%.

+ Após atentado contra Bolsonaro, Ciro e Marina cancelam agenda

A pesquisa anterior foi feita em 20 e 21 de agosto. No mais recente levantamento, o Datafolha não aferiu a intenção de voto em eventual segundo turno.

Após renunciar ao mandato de prefeito 15 meses depois de assumi-lo, Doria continua com a rejeição mais alta entre os postulantes (33%), sendo que na capital paulista a taxa (47%) é quase duas vezes maior que no interior (25%).

Marinho (24%) e Skaf (23%) têm rejeição similar, na frente de França (17%).

Em diferentes extratos, Doria e Skaf estão tecnicamente empatados: no interior (25% a 23%, respectivamente), na capital (24% a 26%) e na pesquisa espontânea, quando o nome dos candidatos não é apresentado previamente (10% a 7%).

O tucano abre vantagem em municípios com até 50 mil habitantes (24% a 14%).

Entre o total de eleitores paulistas, 55% disseram que ainda podem mudar de opção, sendo que os simpatizantes de Skaf estão mais propensos a isso (59%) do que os de Doria (54%).

Na disputa pelo Senado, Eduardo Suplicy (PT) se manteve à frente, com 30%, seguido por Mário Covas Neto (Podemos), com 18%. Vêm atrás Major Olímpio (PSL), com 11%, e Mara Gabrilli (PSDB), com 8%. Com informações da Folhapress.