COMPARTILHAR

Apoiadores de Jair Bolsonaro inflaram um boneco gigante do candidato, na manhã desta sexta-feira (7), em frente ao hospital Albert Einstein (zona sul de São Paulo). "É um boneco novo. Ele tem de 15 m a 17 m", disse Carla Zambelli, coordenadora do movimento Nas Ruas e candidata a deputada federal pelo PSL, a legenda de Bolsonaro.

Carla, que está no hospital tentando visitar o deputado, afirmou que a iniciativa é "da Carla pessoa física", não do grupo que lidera ou da candidatura. Ela disse ter recebido autorização do comando da PM. Na portaria do hospital, orientava outros apoiadores a erguer o boneco "o mais perto da imprensa possível".



Lembrando que o presidenciável perdeu muito sangue após a facada, a ativista também quer convocar uma campanha de doação de sangue. "Queremos mostrar nosso apoio, nossa solidariedade."

Com Carla está a advogada Janaina Paschoal, candidata a deputada estadual pelo PSL. Ela quer visitar Bolsonaro, mas disse que a prioridade no momento é zelar pela saúde dele. "Pode haver risco de infecção."



+ Tendência é que Mourão assuma compromissos de Bolsonaro, diz PRTB

Paschoal chegou ao local por volta das 10h40 e declarou à imprensa e aos presentes que os culpados do atentado a Jair Bolsonaro são da esquerda, mencionando que o agressor participou de manifestações pela liberdade de Lula.

"Quem cometeu o crime foi gente do lado deles! E isso ninguém mostra!", disse, criticando a imprensa e as universidades. A professora de direito, que é candidata a deputada estadual, também disse que os militantes farão campanha por Jair Bolsonaro.

O agressor do presidenciável, Adelio Bispo de Oliveira, nunca foi filiado ao PT, mas foi filiado ao PSOL entre 2007 e 2014.