COMPARTILHAR

O diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, reuniu-se neste sábado (8) com representantes de campanhas presidenciais para discutir o aumento do contingente policial nas agendas dos candidatos.

No encontro, estiveram integrantes das candidaturas de Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Álvaro Dias (Podemos). O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, não enviou representante.



+ Bolsonaro não tem sinais de infecções, afirma boletim médico

Segundo o coordenador financeiro da campanha de Marina Silva, Bazileu Margarido, que participou do encontro, ficou definida a elevação de 21 para 25 no número de policiais federais à disposição de cada presidenciável durante a campanha eleitoral.



O efetivo para cada agenda pública será definido após análise de risco feita pela própria Polícia Federal. Na atividade em que tomou um facada, Bolsonaro era acompanhado, por exemplo, por treze policiais federais.

Na reunião, foram ainda reforçadas as precauções que cada candidato deve adotar para diminuir o risco de incidentes. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse na sexta-feira (07), por exemplo, que Bolsonaro descumprir recomendações repassadas à sua campanha eleitoral, como se descolar no meio de multidão e se colocar em posição acima dos demais, tornando-se alvo mais fácil de eventuais agressões. Com informações da Folhapress.