COMPARTILHAR

Joshua Horner foi condenado, em 2017, a 50 anos de prisão por ter abusado sexualmente de uma menor no estado norte-americano do Oregon. Cerca de um ano depois, foi libertado por causa de um labrador.

Segundo a Associated Press, a vítima de abuso sexual, de 17 anos, teria dito em tribunal que Horner, depois de a violar, fez várias ameaças, entre elas, a de matar todos os animais da vítima. Para provar que era capaz de o fazer, disse a vítima, matou Lucy, seu labrador.



+ EUA difamam para dar golpe na Venezuela, diz Maduro

Seis meses depois, o tribunal do Oregon, num veredicto que não foi consensual, condenou Joshua Horner. A defesa, contudo, não ficou convencida e contratou uma equipe de advogados para os ajudar.



Como a prova da acusação consistia, essencialmente, na morte do cão, a equipe de advogados iniciou uma procura por Lucy, acabando por encontrar o labrador, que vivia, agora, numa nova casa.

No início de agosto, tendo caído a principal prova da acusação, Horner saiu da prisão, e aguardava um segundo julgamento. O advogado da vítima chegou a dizer que esta não estava convicta de que teria sido Horner o homem que a violou.