COMPARTILHAR

A menos de três semanas das eleições, a campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) na corrida eleitoral pela Presidência não conquistou apoios significativos de artistas nas redes sociais, como fizeram seus principais concorrentes.

Em um levantamento sobre a opinião de celebridades no Facebook e no Twitter, a reportagem não encontrou atores, músicos, escritores, cartunistas ou cineastas que tivessem recorrido à internet para declarar voto no tucano. A assessoria do candidato tampouco apontou nomes de apoiadores declarados dele.

O partido, que nas últimas eleições foi a opção para atores como Dado Dolabella, Lima Duarte e a cantora Sandra de Sá, perdeu seguidores na cultura para Jair Bolsonaro (PSL) -caso do cantor Lobão- mas viu uma migração ainda mais contundente de apoiadores para Marina Silva, da Rede.

Em agosto, Luciano Huck elogiou o ex-governador de São Paulo mas disse que ele representava a "velha política". Depois, sinalizou simpatia por Marina citando a postura ética da candidata, sem declarar seu voto. O ator Marcelo Serrado, outro forte aliado na campanha de Aécio em 2014, disse agora: "não apoio o PSDB". Ele conta que seu apoio está com Marina.

Ciro Gomes (PSD) e Guilherme Boulos (PSOL), da mesma forma, provocaram alguma perda para o PT, ainda que a queda tenha sido bem menos visível nas manifestações de apoio à legenda de Lula.

O cantor e compositor Chico Buarque, eleitor de Lula e de Dilma Rousseff em outros anos, continua ao lado do partido que será representado por Fernando Haddad nas urnas. Ele posou para foto com o ex-prefeito de São Paulo após a entrevista que ele concedeu ao Jornal Nacional, da Globo, no último dia 14. "Foi excelente prefeito", disse em vídeo na internet.

Paulo Betti, conhecido eleitor do PT, chegou a considerar Boulos como seu candidato, mas desde o anúncio de que Haddad substituiria oficialmente Lula na corrida eleitoral, o que ocorreu no último dia 11, passou a defendê-lo em sua página no Facebook.

A diferença é que agora Betti está de olho nas pesquisas e não descarta votar em Ciro. A decisão passará pela percepção de qual candidato terá mais forças para enfrentar Bolsonaro. O ator acha que o antipetismo eventualmente pode fortalecer o candidato do PSL no segundo turno.

O PT também manteve entre seus apoiadores a sambista Beth Carvalho, que foi ao programa eleitoral petista nas rádios nesta terça (18) para declarar seu voto. Já Frei Betto, que apoiou Dilma Rousseff em 2014, anunciou no último mês de março que sua preferência está com Boulos.

Para Ney Latorraca, que declarou apoio aos tucanos em diversas eleições, as acusações de corrupção passiva e obstrução de Justiça contra Neves causaram decepção nos artistas que, como ele, apoiaram o peessedebista em 2014. O ator, porém, não descarta votar em Alckmin. Ele diz que se dedica hoje "a uma matemática". "Minha decisão vai depender das pesquisas", diz.

A decisão de não se manifestar por meio da internet também reflete o medo de sofrer ataques virtuais. "Hoje, você pode ser crucificado por qualquer coisa que você fala", diz. Uma das opções mais fortes, para o ator, também é Marina.

O diretor e ator Juca de Oliveira, que apoiou o PSDB em outras eleições, diz que atualmente prefere não declarar seu voto, também para evitar ataques.

"As manifestações de ódio estão em todos os lugares. Parece que estamos em uma guerra. Não é assim que a gente pensava a democracia antes", reclama. Com informações da Folhapress.

Comments

comments