Home CEARÁ Mãe que salvou filha de estupro em praia desabafa: ‘Atordoada’

Mãe que salvou filha de estupro em praia desabafa: ‘Atordoada’

128
0

Uma jovem de 21 anos se banhava, no início da noite de terça-feira (1), quando foi abordada por um homem dentro da água, em São Vicente, no litoral de São Paulo.

Ao perceberem que o homem, de 38 anos, estava abraçando a jovem dentro do mar, a mãe e outros parentes correram em sua direção para evitar o abuso. Segundo a polícia, o homem estava alcoolizado e acabou sendo agredido por banhistas e turistas em seguida.

Em entrevista ao G1, a mãe da vítima relatou que estava com os parentes na faixa de areia quando todos notaram que um homem estava abraçando a sua filha e segurando em sua cintura. Até que o homem tirou a parte de cima do biquini da jovem que é portadora de deficiência mental.

+Delegacia do Ceará é atingida com bomba nesta madrugada

+Sete pessoas são presas após atentados no Ceará

A jovem sofre da Síndrome de Prader-Willi, que causa fala infantilizada, obesidade mórbida e atraso mental. "Vimos que estavam segurando minha filha. Eu levantei e fiquei atordoada. Entramos correndo na água e acho que ele percebeu, porque saiu correndo. Eu chamei ele de 'desgraçado' e perguntei a razão de ele ter segurado a minha filha'. Ele tentou fugir e pedi para segurarem", conta.

Alguns homens conseguiram retirar o suspeito da água e arrastá-lo até a faixa de areia, onde ele foi agredido com chutes e socos. A polícia foi chamada ao local conseguiu evitar o linchamento e prendeu o suspeito.

O suspeito foi levado para atendimento no Hospital Municipal de São Vicente por conta das agressões. Em seguida, foi encaminhado ao 1º DP de São Vicente onde foi preso por flagrante e indiciado por estupro de vulnerável.

Previous articleMédium é procurado após matar dois em supostas cirurgias espirituais
Next articleMais de 30 turistas são vítimas de ‘arrastão’ em ponto turístico do Rio
O Jornal Expresso CE, é um veículo da Publicmais -Edição de Jornais e Revistas, fundado em 15 de agosto de 2013., com edição impressa no formato tabloide, com circulação mensal em: Maranguape, Maracanaú, Pacatuba e Guaiúba e Edição Digital, dirigida para o Maciço de Baturité/CE. Mas, por conta da pandemia encerrou sua edição impressa em fevereiro de 2020, e a edição digital em agosto de 2021, quando o Jornal Expresso CE, completou 8 anos de atividades.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here