O ano de 2019 não começou bem para o professor de teatro Rafael de Souza, de 31 anos. Na madrugada dessa terça-feira (1º), em Guarujá, no litoral de São Paulo, ele foi agredido com socos por estar de mãos dadas com outro homem. O educador também foi humilhado com xingamentos homofóbicos.

Em entrevista ao G1, a vítima contou que dois homens saíram de uma casa na rua Osvaldo Rubens Lourenço, no bairro Astúrias, e começaram e gritar. Sem saber que era com ele, o professor virou para olhar e foi atingido por um soco no rosto.

+ Em menos de 20 minutos, cinco pessoas são assassinadas em Belém

"O rapaz que estava comigo conseguiu se afastar rapidamente da situação. Eu fiquei parado no local, sem entender o que estava acontecendo. Os dois homens queriam me bater. Eles saíram e começaram a gritar comigo. Em determinado momento, que passei a olhar diretamente para eles, eles me chamaram de 'viado' e perguntaram o que eu estava olhando", relembrou.

Notícias ao Minuto Rafael de Souza foi agredido com soco no rosto

+ Homem com tornozeleira eletrônica é preso após tentativa estupro

Após o ocorrido e assustados com a situação, os dois foam buscar ajuda na casa de uma amiga, que mora próximo de onde a agressão foi praticada. Também tentaram ir a uma delegacia, mas, por causa de outras ocorrências, estava lotada. Eles foram orientados a voltar nesta quarta-feira (2).

"É a primeira vez que sofro por conta de homofobia. Eu e o rapaz que estou saindo somos negros e, por um instante, pensei que fosse por isso, mas eles me xingavam muito de viado e com uma raiva estranha. Agiram como se eu tivesse feito algo errado, mas só estava passando pela rua", disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui