Edvaldo Felix Duarte dos Santos, de 34 anos, suspeito de ter estuprado e matado a motorista de Uber Katia Valéria Nunes Bastos, de 47, afirmou que já conhecia a vítima e que manteve relação sexual consensual com ela, segundo o "Extra". Ele prestou depoimento na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, nesta terça (8).

Edvaldo afirmou ainda que Katia teria pedido para ser estrangulada durante o ato sexual. No entanto, a polícia não acreditou na versão dada por Edvaldo e ele foi autuado em flagrante por homicídio qualificado.

+ Motorista de Uber é encontrada morta dentro de carro no Rio

No momento do crime, Katia estava trabalhando. Segundo o "Extra", Edvaldo alegou à polícia que teria solicitado um veículo no aplicativo Uber, mas essa solicitação está sendo investigada. A polícia acredita que o suspeito não agiu sozinho e apura participação de outras pessoas no crime.

A Uber divulgou uma nota na qual afirma: "Ficamos chocados em saber que a motorista parceira foi vítima desse crime terrível. Nossos sentimentos estão com a família da Katia neste momento de dor. A Uber repudia todo tipo de comportamento violento contra mulheres e acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos que envolvam qualquer forma de assédio ou violência. A empresa informa que o usuário envolvido foi banido e que está totalmente à disposição para colaborar com as autoridades no curso das investigações, nos termos da lei".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui