COMPARTILHAR

"Um farrapo humano", afirmou o advogado de João de Deus, Alberto Toron, sobre o estado de saúde do médium, preso há 26 dias, no Núcleo de Custódia, em um presídio em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Ele foi acusado de estuprar mulheres durante os tratamentos espirituais. A defesa ainda afirmou que o líder religioso, além de se sentir injustiçado por continuar atrás das grades, está debilitado.

“Ele está debilitado. Reagiu à notícia com tristeza. Apoia-se na sua infinita fé e se sente injustiçado. Agora está andando com uma bengala improvisada, fala para dentro e muito baixo. Cabeça baixa, barba por fazer, cabelo despenteado. Um farrapo humano”, afirmou o advogado, em entrevista ao G1.



+ Médium de Goiás é suspeito de quatro mortes em dois estados

Ele ainda acrescentou que, nessa quinta-fira (10), se encontrou com o cliente depois da suspensão do habeas corpus determinada pelo Tribunal de Justiça de Goiás. A decisão ocorreu após um dos desembargadores solicitar mais tempo para analisar o caso.



LEIA TAMBÉM: Polícia Civil indicia João de Deus e mulher por posse ilegal de armas

+ João de Deus temia retaliação física de colegas de cela, diz jornal

+ Juíza aceita denúncia e João de Deus vira réu por abusos sexuais

+ Depoimento de João de Deus tem gritos, fio queimado e agente ferido