Home CEARÁ Terra indígena é invadida por grileiros em Rondônia

Terra indígena é invadida por grileiros em Rondônia

165
0

Dezenas de grileiros invadiram a Terra Indígena Uru-eu-wau-wau nos últimos dias, em área próxima ao município Jorge Teixeira (RO), a 322 km de Porto Velho.

Vídeos gravados pelos próprios indígenas na sexta-feira (11) mostram áreas já desmatadas e uma grande picada na floresta. Confrontado, um dos grileiros disse que a ordem para invadir veio "de fora": "Hoje, 'tá' nós, amanhã vêm mais de 200 gente aqui, vocês fiquem esperando".

+ Carro de deputada é alvejado por fuzil e motorista é baleado no Rio

Em áudio à Folha via WhatsApp, a liderança Awapu Uru-Eu-Wau-Wau, da aldeia linha 623, diz que já denunciou à Funai, mas que até agora nenhum órgão federal apareceu.

A nossa terra sendo invadida por pelo menos 40 pessoas, a gente não sabe direito, mas é muita gente, e nós estamos precisando de ajuda para retirar esse pessoal. Está bem pertinho da aldeia."

Espero que os órgãos possam ajudar nessa hora. Eu preciso da ajuda da PF, da Funai, do Ibama, do ICMBio. Tem de ser o mais rápido possível, é muita gente demais."

Esta é a segunda invasão de terras indígenas na Amazônia em janeiro. No último dia 3, a própria Funai informou que madeireiros haviam entrado na Terra Indígena Arara, no Pará.

Procurado pela Folha de S.Paulo na manhã deste domingo (13), a Funai não se pronunciou sobre a invasão em Rondônia.

A Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau tem sido alvo de invasões de grileiros nos últimos anos. Em fevereiro, o Ministério Público Federal descobriu que madeireiros ilegais estavam até loteando parte do território para invasores. Com informações da Folhapress.

Previous articleHomens invadem terreiro, roubam celulares e agridem babalorixá na Bahia
Next articleDeputada Martha Rocha já havia sofrido ameaças de morte
O Jornal Expresso CE, é um veículo da Publicmais -Edição de Jornais e Revistas, fundado em 15 de agosto de 2013., com edição impressa no formato tabloide, com circulação mensal em: Maranguape, Maracanaú, Pacatuba e Guaiúba e Edição Digital, dirigida para o Maciço de Baturité/CE. Mas, por conta da pandemia encerrou sua edição impressa em fevereiro de 2020, e a edição digital em agosto de 2021, quando o Jornal Expresso CE, completou 8 anos de atividades.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here