COMPARTILHAR

Membros de facções criminosas do Ceará detidos nas unidades prisionais do estado trocaram mensagens ordenando os ataques a veículos e prédios públicos. Os áudios chegaram até as autoridades após a apreensão de 407 aparelhos de celulares nos presídios, em 6 de janeiro.

De acordo com o G1, em uma das mensagens, um preso ordena: "Uns toca fogo na prefeitura, uns toca fogo nas coisa lá dos policial, tá ligado?". “Agora nós vamos parar os ônibus, vamos tocar fogo com vocês dentro”, diz outro detento.

+ Governador do CE sanciona novas leis para conter ataques no estado

Os ataques no Ceará surgiram após o secretário da Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuqurque, ter tomado medidas que tornam mais rigorosa a fiscalização no sistema penitenciário.

Os criminosos pedem a saída do secretário. "Vocês vão tirar esse secretário aí dos presídios. Vocês vão ver, vai piorar é pra vocês".

Ao tomar posse, em 1º de janeiro, Mauro Albuquerque afirmou que não iria reconhecer as facções nos presídios e prometeu medidas para impedir a entrada de celulares nas celas. Atualmente, a divisão de presos no Ceará é feita conforme a facção da qual cada interno é membro.

O Palácio Municipal da Prefeitura de Maracanaú, na Grande Fortaleza, foi um dos 49 prédios públicos atacados no Ceará.

Comments

comments