COMPARTILHAR

O gabinete do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na Câmara dos Deputados atestou frequência total de sua ex-assessora Nathalia Melo de Queiroz, filha de Fabrício Queiroz, mencionado em relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

Como revelou a Folha de S.Paulo, Nathalia atuava como personal trainer no mesmo período em que trabalhava para Bolsonaro, de dezembro de 2016 a outubro de 2018. A frequência é atestada pelo gabinete ou pelo parlamentar, por meio eletrônico. No período acima, não houve registros de faltas injustificadas ou licenças.

+ Bolsonaro concordou em manter o Brasil no Acordo de Paris, diz Salles

A reportagem obteve a frequência da ex-assessora por meio de um pedido com base na Lei de Acesso à Informação.

Os secretários podem trabalhar em Brasília ou no estado de representação do deputado, contanto que cumpram a carga horária de 40 horas semanais.

A personal trainer também aparece no relatório do Coaf que identificou movimentações financeiras atípicas no total de R$ 1,2 milhão por parte de seu pai, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro.

Nathalia também trabalhou como assessora do filho do presidente. Em 2007, aos 18 anos, começou a atuar na vice-liderança do PP, de Flávio, onde ficou até fevereiro de 2011. De agosto do mesmo ano até dezembro de 2016, esteve lotada em seu gabinete.

+ MP pode denunciar envolvidos no caso Queiroz mesmo sem depoimentos

Residente no Rio de Janeiro, as redes sociais de Nathalia giravam em torno de sua atuação como professora de educação física –nas academias cariocas e na praia. Havia registros, inclusive, de aulas com famosos, como os atores Bruno Gagliasso, Bruna Marquezine e Giovanna Lancellotti.

Após ser contatada pela reportagem, a ex-assessora apagou as redes sociais -agora retomadas apenas para amigos.

A reportagem questionou o presidente eleito sobre a função exercida pela personal trainer em seu gabinete. "Ah, pelo amor de Deus, pergunta para o chefe de gabinete. Eu tenho 15 funcionários comigo", respondeu.

A reportagem ligou diversas vezes para Jorge Oliveira, que chefiava o gabinete no período em que Nathalia era funcionária de Jair Bolsonaro, mas não obteve resposta. Com informações da Folhapress.

Comments

comments