COMPARTILHAR

O Brasil foi citado como um possível destino de investimentos durante o painel American Economic Power, realizado ontem em Davos, no Fórum Econômico Mundial. Segundo David Rubenstein, cofundador e copresidente do conselho do Carlyle Group, há boas oportunidades na América Latina e o Brasil é um dos países que as oferece, por causa dos baixos investimentos feitos nos últimos anos. Ele também citou, ainda que de forma mais sucinta, a Colômbia como outro país com boas oportunidades.

"Espero que meus concorrentes não ouçam", brincou o executivo.



O debate também girou em torno dos "tímidos" investimentos americanos nos mercados emergentes, sendo que, na China, ainda têm sido mais presentes.

Mas ao ser questionado sobre a América Latina, Rubenstein pontuou que os investidores americanos estiveram muito cautelosos com a região recentemente, pela instabilidade das últimas décadas. De acordo com ele, "quando tudo parecia bem", os americanos colocaram dinheiro nos países, mas "as coisas se deterioravam rapidamente", o que gerou a cautela verificada até agora.



O Carlyle é um dos maiores fundos de private equity do mundo, com US$ 212 bilhões sob gestão.As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia também: BC não colheu sugestões de Coaf para regras contra lavagem de dinheiro