COMPARTILHAR

Um gabinete de crise já foi montado no Palácio do Planalto para acompanhar todo o desenrolar da situação decorrente do rompimento da barragem da mineradora Vale na Mina Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Esse gabinete vai coordenar os esforços de todos os ministérios que estarão envolvidos na busca de soluções para o rompimento da barragem e redução de danos.



O presidente Jair Bolsonaro está reunido em Brasília com vários ministros para determinar as primeiras ações e equipes técnicas serão deslocadas para a região. Não há decisão ainda se o presidente Bolsonaro irá para a região, já que ele chegou ao Brasil na madrugada desta sexta-feira (25), após participação no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.

+ 3 anos após Mariana, barragem se rompe em Brumadinho; veja fotos



+ Zema, governador de MG, disse querer agilizar licenças para mineradoras

Além disso, está previsto que Bolsonaro seja internado em São Paulo, neste domingo, para realização de cirurgia de retirada da bolsa de colostomia, na segunda-feira.

Auxiliares diretos do presidente consideraram o episódio uma verdadeira "tragédia ambiental". Por determinação do presidente, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, irá para Minas Gerais ver de perto o tamanho do estrago causado. O Planalto deverá divulgar uma nota sobre o rompimento.