COMPARTILHAR

A Itália registrou 379 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, um ligeiro aumento face às últimas semanas, onde a média rondou entre 200 e 300, com o total de infectados passando para 247.537, indicaram fontes oficiais. Segundo os dados da Proteção Civil italiana, também no mesmo período o total de mortes foi de nove, o que elevou para 35.141 os óbitos desde o início da pandemia, a 21 de fevereiro. Por outro lado, foram considerados curados 178 pacientes.

O Instituto Superior de Saúde italiano admitiu que há "uma transmissão generalizada do vírus", o que, sempre que ocorrem condições favoráveis, provoca também "surtos de dimensão considerável" e que, por vezes, estão associados à importação de casos de países estrangeiros.

"O número de casos de infecção, mesmo que esteja tudo sob controle, mostra uma tendência em alta", lê-se num comunicado do instituto.

O ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza, anunciou hoje que foi prorrogada a obrigatoriedade de respeitar duas semanas de quarentena preventiva para evitar contágios do novo coronavírus para os cidadãos oriundos da Bulgária e da Romênia que visitem ou se desloquem para a Itália.

Em sentido inverso, retirou da lista de países extracomunitários os cidadãos da Argélia, embora, para entrarem na Itália, tenham também de respeitar a quarentena preventiva, tal como as autoridades de Roma impuseram a todos os países fora do Espaço Schengen.

A Itália prorrogou o estado de emergência até 15 de outubro para poder continuar a aplicar as medidas de contenção do novo coronavírus.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 673 mil mortos e infectou mais de 17,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Leia Também: Aplicativo ajudará a rastrear contatos de infectados com covid-19