COMPARTILHAR

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), disse ser "importante" e "fundamental" a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) desta terça-feira, 23, que liberou Estados e municípios a comprarem vacinas contra a covid-19 diretamente dos fornecedores e fora do Plano Nacional de Imunizações, a cargo do Ministério da Saúde.

"Nós estamos acompanhando o Plano Nacional. Lamentavelmente, a oferta de vacinas ainda é muito pequena, o que impede que nós possamos avançar rapidamente com o maior número de pessoas sendo imunizadas", afirmou o governador.



Segundo havia afirmado na última semana, o Pará é o Estado que recebeu o menor número de doses per capita. Proporcionalmente ao tamanho da população, as doses representam a imunização de 2% dos paraenses. Em comparação, em São Paulo os municípios vacinaram em média até a última sexta-feira (19), 2,8% da população, com São Caetano do Sul o que mais aplicou as doses, em 8,1% da população.

De acordo com Barbalho, a partir da decisão do Supremo, o Estado deve seguir o plano de montar um pool de Estados para a compra de vacinas de laboratórios autorizados pelas agências de vigilância sanitária brasileira e conveniadas com o País. Compõem o grupo governadores da Amazônia Legal e o Fórum de Governadores do Brasil.



"O Estado do Pará já está com recursos garantidos para 3 milhões de doses, o que permitirá certamente que nós avancemos de maneira estratégica para, o mais rápido possível, imunizar toda a nossa população. Com isso, são vidas salvas", disse o governador.