COMPARTILHAR

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – Em carta apresentada durante reunião com o governador João Doria (PSDB), a APM (Associação Paulista de Municípios) criticou a inércia do governo Jair Bolsonaro (sem partido) no controle da pandemia do novo coronavírus e disse apoiar medidas mais duras no estado de São Paulo.

No texto, Frederico Scaranello, presidente da APM, diz que o colapso no sistema de saúde tem acontecido também "em razão da inércia do governo federal em adotar atitudes eficazes e ações eficientes em âmbito nacional quer no sentido de agilizar o PNI (Programa Nacional de Imunizações) com vacinas para a população, quer no sentido de investir recursos na área da saúde pública nos estados e municípios brasileiros".



O documento afirma que a associação defende ações rápidas e concretas para evitar o avanço da pandemia.

Doria decidiu encontrar-se com prefeitos nesta terça (2) para discutir a possibilidade de adotar medidas mais duras contra a pandemia no estado, que poderão ser anunciadas nesta quarta-feira (3).