COMPARTILHAR

O Procon de São Paulo assina hoje (9) um convênio com a Universidade Zumbi dos Palmares para criar um canal específico para denúncias de racismo em relações comerciais. Será formado ainda um núcleo próprio para tratar da discriminação racial no órgão de defesa do consumidor.

A universidade vai subsidiar o trabalho do Procon com informações sobre o racismo, além de oferecer atendimento jurídico e psicológico a consumidores que forem vítimas de discriminação. O órgão de defesa do consumidor vai ainda elaborar cartilhas e promover palestras sobre o tema.



Uma pesquisa feita pelo Procon em 2019, com mais de 1,6 mil consumidores, mostrou que 65% das pessoas pretas disseram ter sofrido discriminação em relações de consumo. No público geral, o índice ficou em 55%.

Para o diretor do Procon, Fernando Capez, é importante a especialização no tema devido a aparente sutileza de algumas situações de discriminação. “Nas relações de consumo, existe um racismo dissimulado. Essa discriminação, que ocorre no comércio e na prestação dos serviços, manifesta-se na hostilidade das ações dos seguranças, na recusa em atender o cliente”, destacou.